Carregando...

Chianti

por Mauricio Andrade — Última modificação 26/05/2011 08:31:54

Estou estudando um pouco mais e começando a entender a denominação Chianti e vim compartilhar com vocês. Agora compreendi a semelhança citada com a Borgonha, ou seja, na região que compreende o chianti você pode ter qualquer qualidade de vinho desde simples até complexos, desde para ser bebidos jovens até de guarda.

Chianti é uma denominação que compreende várias comunas da região da Toscana, centro da Itália. A comuna mais conhecida da região é Firenze (Florença).

As uvas originais de um chianti são Sangiovese, Canaiolo e Malvasia Bianca, mas muito se alterou até hoje, existindo varietais 100% Sangiovese e mesclas com outras uvas como Trebianno. Recentemente com vários produtores de qualidade migrando para cortes com Merlot e Cabernet Sauvignon, os assim denominados supertoscanos, resolveu-se por parte do governo aceitar também estas castas estrangeiras desde que em menores proporções nos vinhos de denominação chianti. Podem ou não passar por barricas de carvalho. Normalmente os mais básicos não passam por barrica e são bem baratos já os Riserva passam por carvalho mas não tem um tempo definido neste estágio pela denominação.

Uma única coisa é certa nos Chianti: a maior proporção é sempre Sangiovese. Não cheguei a conclusão se a quantidade mínima é 70% ou 80%.

São oito as zonas demarcadas do Chianti sendo as mais conhecidas e de melhor qualidade a Chianti Clássico e Rufina. A Chianti Clássico é a mais antiga e talvez seja a denominação mais antiga mesmo antes da do Vinho do Porto.

A característica mais marcante do vinho é realmente a acidez, uma boa tanicidade, mas isto não quer dizer que seus vinhos sejam de longa guarda, com certas exceções a maioria é para ser tomado jovem.

O Galo preto que citei em um tópico é o simbolo de um consórcio de produtores da região do Chianti Classico, mas não tenho visto garrafas com este símbolo.

Falando em garrafa, atualmente as garrafas de chianti parecem com as de bordeaux, um pouco mais baixas e com o pescoço um pouco menor. antigamente eram famosas o Fiasco (garrafas bojudas com cestas de palha), mas como já disse os amigos da enoteca: fujam delas!


Pingos
6
  




Comentarios

29/08/2011 20:58:50
Maurício,

Complementando seu excelente texto, acho que existe uma oportunidade para comentar as modificações do DOC Chianti 2006 em relação à proporção dos varietais:

A última revisão exige 80% de Sangiovese. A boa notícia é que a Malvásia e Trebbiano, duas varietais brancas, não podem ser mais adicionadas ao vinho (safra 2006 em diante). Quanto aos outros varietais, são tolerados até 20% (mas existe uma grande parcela dos produtores que estão trabalhando com 100%).

É bom lembrar que o Biondi Santi baseou-se no principal varietal do Chianti para produzir o clone Sangiovese grosso em Montalcino (ele apelidou o varietal de brunello, dai o nome da apelação).

Por outro lado, os vinhos de chianti inspiraram um grupo de produtores (em especial a família Antinori) ao leste da toscana (na região de Bolgheri) que, ao notar uma possível semelhança de solo com Bordeaux, resolveram plantar os mesmos varietais (cabernet e merlot) e, depois, misturá-los à sangiovese. São os vinhos de mesa (pq não podem usar o nome de Chianti) que acabaram sendo apelidados de Super-Tuscans (ou "supertuscanos" hehe).

Pingos
0
  
27/05/2011 13:53:52
Chef Maurice, valeu o resumo didático. Vais virar um especialista? hehe

Pingos
0
  
26/05/2011 10:53:12
e eu aprendendo contigo.... rs

Pingos
0
  

Adicione seu Comentario


comentário
Esta dica foi visualizada 1505 vezes